Meus Pedidos
Você adicionou a sua lista de compras. O que deseja fazer agora?
Continuar Comprando! Fechar Compra!
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
CTPF - YouTube



Acervo e estrutura do CTPF guardam bastidores das produções operísticas mineiras

A montagem de uma ópera envolve uma logística tão grandiosa e extensa quanto sua apresentação no palco

Dia em Notícias

Acervo e estrutura do CTPF guardam bastidores das produções operísticas mineiras

Foto: Paulo Lacerda

Muitos não imaginam os processos e procedimentos que envolvem a produção de uma ópera. Por trás de uma montagem - sempre de grande magnitude -, tudo vai muito além da produção apenas de um belo espetáculo, mas envolve em seu longo processo de preparação, profissionais de várias áreas e setores do segmento artístico. 

Para as produções operísticas da Fundação Clóvis Salgado especificamente, os bastidores de uma ópera passa pelo Centro Técnico de Produção e Formação Raul Belém Machado, o CTPF, que dá suporte à produção de figurinos, adereços e cenários para as montagens da Fundação e reúne, em seu acervo artístico, 50 anos de história das artes cênicas de Minas Gerais.

A coordenadora de projetos incentivados da APPA e gestora do espaço, Laryssa Martins, explica que o trabalho inicial para a montagem de uma ópera se inicia como a definição do calendário anual da Fundação Clóvis Salgado, dentro da programação do calendário operístico e envolve uma gama de profissionais das mais diferentes áreas das artes cênicas durante meses.

A partir da definição das óperas a serem encenadas, datas e contexto orientado pelo diretor do espetáculo, o trabalho de elaboração de figurinos, adereços e cenários é iniciada e percorrem várias etapas, desde a interpretação do libreto e do enredo; pesquisa de referências estéticas históricas e contemporâneas, de materiais e modelagem, até a construção da peça em si e que podem demandar uma série de intervenções como bordados feitos à mão, tingimentos e envelhecimento têxteis e inúmeras provas e ajustes . Além das peças inéditas que são concebidas neste processo, muitos figurinos, acessórios e objetos de cena existentes no acervo são reaproveitados e incorporados ao repertório criativo desses novos espetáculos.

Uma equipe atualmente formada por 05 profissionais do CTPF é acionada para preparar e dar todo suporte necessário para a produção, que envolve o atendimento às equipes de produção com costureiras, aderecistas, figurinistas, cenógrafos, cenotécnicos entre outros e disposição das oficinas de marcenaria, serralheria e costura e das coleções e objetos que compõem o acervo albergado em duas unidades.

Um bem precioso

Depois dos espetáculos apresentados, todo acervo produzido é preparado para sua salvaguarda, realizada pelo CTPF. Para esse processo, todas as peças passam por um processo de limpeza e higienização, são contabilizadas, acondicionadas e cadastradas em sistema de catalogação disponível para visualização do público em geral através do website ctpfcs.com.br e a partir de então são incorporadas ao acervo artístico da Fundação Clóvis Salgado.

Um ano que marcou o calendário operístico da FCS

O ano de 2022 foi especial para a Fundação Clóvis Salgado e marcou a história recente da instituição, com as produções das óperas Aleijadinho, no primeiro semestre, que foi considerada a maior produção na Fundação nas últimas décadas, e A Flauta Mágica, de Verdi, apresentada no segundo semestre.

As duas produções colocaram Minas Gerais no calendário anual operístico no Brasil e foram destaques na mídia nacional, principalmente a estreia da ópera Aleijadinho, ocorrida no adro da igreja São Francisco, na cidade natal do maior escultor brasileiro, Aleijadinho.

A Flauta Mágica veio afirmar que Minas Gerais e a Fundação Clóvis Salgado são especialistas na produção de óperas, sempre dando uma leitura inovadora e de vanguarda para seus grandes espetáculos, contando sempre com a estrutura e know-how do seu Centro Técnico de Produção e Formação, o tradicional CTPF. 

Só em 2022, mais de 700 peças de vestuário e acessórios que compuseram os repertórios de figurinos das duas óperas encenadas no ano, Aleijadinho e A Flauta Mágica. Desse total, cerca de 30% das peças utilizadas pertenciam ao acervo do CTPF e foram ressignificadas e reaproveitadas.

 

Fotos Galeria: Poly Acerbi

Galeria:

  • Acervo e estrutura do CTPF guardam bastidores das produções operísticas mineiras - Foto 1
  • Acervo e estrutura do CTPF guardam bastidores das produções operísticas mineiras - Foto 2